Documento desmente versão do Governo sobre uso indevido do avião ambulância



Nesta quinta-feira, 17 de março, o deputado Bruno Souza (NOVO) publicou nas redes sociais uma série de publicações comprovando as denúncias que fez nos últimos dias sobre o uso indevido do Arcanjo-06, avião ambulância, pelo governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva.


Na postagem, o deputado divulga documentos obtidos do próprio sistema do Governo do Estado, o SGP-e, com o processo de solicitação de transferência do recém-nascido que teve agravamento no quadro de saúde e morreu após demora no transporte. No dia do primeiro pedido, em 12 de janeiro, a aeronave estava a serviço do governador.


A Secretaria de Comunicação do Estado emitiu uma nota classificando a denúncia como fake News. Na manifestação reconhece que houve o pedido, mas que a criança não pôde ser transportada no dia 12 de janeiro devido a uma burocracia do hospital. E que, depois dessa burocracia resolvida, o transporte não foi feito devido ao agravamento do estado da vítima no dia 13 de janeiro.


No entanto, documentos, como o laudo do setor de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde, mostra que todos os trâmites foram feitos e que a criança estava em condições de ser transferida em 12 de janeiro, o que não foi possível porque não havia transporte disponível.


As notas seguidas do Governo nos últimos dias demonstram a considerável preocupação do governador para esconder a gravidade do caso. Mas o que fica claro é que todas as requisições feitas pelo Arcanjo - e que foram relatadas anteriormente por mim - são verdadeiras e que, em todas, o avião estava a serviço pessoal de Carlos Moisés”, destaca o deputado Bruno Souza.