Deputado Bruno Souza faz manifestação em Videira contra medidas absurdas



No último sábado, 13 de novembro, o deputado Bruno Souza (NOVO), juntamente com o fundador do canal Ideias Radicais, Raphael Lima, e a coordenadora Regional do Movimento SC Livre, Isadora Piana, estiveram no município de Videira, no meio-oeste do estado, onde se manifestaram contra absurdos que ocorreram recentemente na região.


No dia 14 de outubro, a família Alberti, produtora de queijos, salames e chimias artesanais, do interior de Videira, teve os produtos descartados pela Vigilância Sanitária, o que causou prejuízo de cerca de R$ 12 mil reais. Os produtores foram obrigados a enterrar toda a produção, do contrário teriam que efetuar o pagamento do transporte dos alimentos até o aterro.

A família Alberti comunicou que precisará desembolsar cerca de R$ 60 mil reais para atender as exigências e adequações dos órgãos competentes para continuar a produção.

No mesmo mês, uma proposta de Lei de iniciativa do Executivo Municipal foi enviada à Câmara de Vereadores com o objetivo de regulamentar o transporte privado de passageiros por aplicativo na cidade de Videira. A Lei n. 3.979/2021 foi aprovada pela maioria dos vereadores e sancionada pelo prefeito em 29 de outubro.

Dentre as exigências, está a obrigatoriedade dos aplicativos de constituírem sede ou filial devidamente credenciadas na OTRAVI (Órgão Executivo de Trânsito de Videira), o que, praticamente, inviabiliza a prestação do serviço na cidade.

“Essa decisão absurda prejudica os motoristas que querem trabalhar e a população que tem o direito de escolher como se locomover pela cidade. Além de revoltante, a medida é imoral já que um dos vereadores é proprietário de empresa de aplicativo no município, ou seja, legislou em causa própria”, destaca o deputado Bruno Souza.

Para derrubar a lei, o deputado Bruno Souza entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), em parceria com o Partido NOVO. “Com relação à família Alberti estamos organizando uma rifa para arrecadar os recursos necessários para a adequação do espaço e para que os produtores possam retomar as atividades”, enfatiza Isadora Piana, coordenadora Regional do Movimento SC Livre.